fbpx

Diferentes fontes proteicas: Whey protein, beef protein, soy protein, rice protein…

Diferentes fontes proteicas: Whey protein, beef protein, soy protein, rice protein…

Diferentes fontes proteicas (whey protein, beef protein, soy protein, rice protein…) funcionam da mesma forma? Qual tem maior eficácia?

Vivemos em uma época em que a funcionalidade de um alimento é muitas vezes mais importante que o seu gosto. Seu benefício vale mais do que sua origem e, em muitos casos, a exceção torna-se a regra. Um exemplo disso é o ovo, que durante anos foi servido na mesa de muitos, depois tornou-se proibido por conta do colesterol, e hoje voltou a ser aceito por causa de seu valor nutricional. No final, são apenas diferentes pontos de vista sob um mesmo alimento.

No caso da proteína, é a mesma coisa. De maneira geral, independentemente de sua origem, o mais importante são seus benefícios, analisando que a base das fontes proteicas normalmente vem acompanhadas de outras substâncias indispensáveis para nosso organismo. Dessa forma, as diferentes fontes de proteína se tornaram muito comparadas em relação ao seu nível de absorção, pureza, facilidade de obtenção e assim por diante.

Vamos então aprender sobre os diferentes tipos de proteína, e compará-los para mostrar como todas são boas, mas um modelo ou outro pode ser melhor para determinadas pessoas.

As diferentes fontes de proteína

01 – O leite

A primeira e mais famosa fonte de proteína que existe é o leite. O famoso whey é a proteína extraída a partir do soro do leite, utilizada para suprir uma necessidade que o organismo tem, algumas vezes com uma absorção mais rápida do que a comida, de acordo com o método de extração.

Em se tratando de whey protein, ou da proteína do soro do leite, sua principal vantagem é a acessibilidade. Em praticamente qualquer site é possível encontrar uma promoção de whey protein, ou uma oferta que pareça interessante. Porém, é importante saber também que o soro do leite pode ser obtido de diferentes formas, e essas formas influenciam diretamente em sua capacidade de absorção. São 3 as formas de extração do soro do leite:

• Extração concentrada, ou whey protein concentrado – esse tipo de extração é a mais comum e a mais fácil de fazer. Justamente por isso, o whey protein barato tende a ser feito a partir desse tipo de extração. A desvantagem é a porcentagem de absorção que o organismo tem a partir desse soro: cerca de 70%. Com isso, mesmo comprando um whey protein concentrado 100%, sua taxa de absorção será de 70%, o que traz embutido uma taxa de desperdício de 30% na fórmula. Mas isso não significa que o whey protein concentrado seja ruim, só que ele terá um resultado um pouco mais lento que as outras opções.

• Extração isolada ou whey protein isolado – através de um processo de extração mais tecnológico, é possível isolar a proteína obtida do soro do leite quase em sua totalidade, em cerca de 95%. Assim, já é fácil de identificar a vantagem do whey protein isolado comparado ao concentrado: sua taxa de pureza. A desvantagem é o preço, já que o whey protein isolado é sempre mais caro que o whey protein concentrado.

• Extração hidrolisada, ou whey protein hidrolisado – tem a mesma taxa de absorção que o whey protein isolado, mas tem a vantagem de receber um método de extração mais tecnológico, o que permite a inserção de outras substâncias importantes para o organismo, inclusive os encontrados em outros suplementos como BCAA ou Glutamina. A desvantagem é, mais uma vez, o preço elevado.

02 – A carne

Apesar do whey protein ser muito utilizado, especialmente por atletas, a intolerância à lactose é um problema que afeta cerca de 25% da população mundial, e para esses, é impossível utilizar a proteína do leite na dieta. Para esse público, existe o soro da proteína da carne, que é igualmente obtido através da extração isolada ou hidrolisada e tem os mesmos benefícios. A diferença é que o leite tem maior concentração de proteína que a carne; logo, as doses de proteína da carne devem ser um pouco maiores. Por outro lado, normalmente esse tipo de suplemento é um pouco mais barato.

03 – Os vegetais

Arroz, soja e grãos também são grande fonte de proteína, apenas não são tão populares quanto a extração do leite e da carne. Porém, a extração da proteína dos vegetais tem se tornado cada vez mais necessária, principalmente para compensar a necessidade de nutrientes em dietas veganas, já que cada vez mais atletas aderem a esse tipo de alimentação. O soro do arroz e da soja são muito parecidos com o da carne, obtendo alta quantidade de absorção, exigindo doses maiores do que a do soro do leite, e tendo um custo um pouco mais baixo.

E qual a melhor proteína?

Se você não quer errar, use proteína do leite. Se você é intolerante à lactose, use a proteína da carne. E se você é vegano ou vegetariano e não consome leite, uso a proteína de origem vegetal. Todas elas têm marcas boas e ruins. E mesmo para quem não tem nenhum tipo de restrição, fica a sugestão de experimentar diferentes fontes para comparar o resultado e achar o mais adequado para você! Mas lembre-se, a consulta ou acompanhamento de um profissional nutricionista é fundamental.

 

Visite a Loja Online: Viva Leve Fitness